âncora para o conteudo
Prevenção da Hipertensão Arterial Sistêmica
Publicado em: 01/02/2017

Prevenção da Hipertensão Arterial Sistêmica


A hipertensão arterial sistêmica (HAS), popularmente chamada de pressão alta, é uma doença na qual a pressão do sangue nas artérias é elevada. 

Essa condição clínica é um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares e cerebrovasculares. A mortalidade por doença cardiovascular aumenta progressivamente com a elevação da PA. Além disso, outros órgãos e tecidos do corpo humano podem sofrer danos por causa da hipertensão; rins, cérebro e vasos sanguíneos estão entre os mais afetados. 


Segundo o Ministério da Saúde, o número de hipertensos no Brasil supera 30 milhões, sendo que apenas 10% têm algum cuidado com a doença. Essa enfermidade não atinge um grupo particular da população, podendo afetar a todos, independente de sexo, idade ou peso. 

Estudos mostram que o diagnóstico e o cuidado adequado da hipertensão são fatores primordiais na redução do risco de eventos cardiovasculares. Aferir a pressão arterial é fundamental no diagnóstico da doença e deve ocorrer em toda avaliação médica ou mesmo por outros profissionais de saúde. Esse é um procedimento simples e acessível. A hipertensão pode ser controlada e até mesmo evitada, portanto é fundamental prevenir.

 

Algumas dicas importantes podem ajudar no controle e na prevenção da doença:

  • Evite adicionar muito sal aos alimentos;
  • Escolha alimentos que tenham pouca gordura saturada ou pouco colesterol;
  • Priorize alimentos integrais, ricos em fibras; 
  • Diminua o consumo de doces e bebidas com açúcar;
  • Evite fumar - depois da hipertensão, o fumo é o maior fator de risco para doenças cardiovasculares;
  • Pratique exercícios físicos regularmente.

O impacto da adoção de um estilo de vida saudável e de uma dieta balanceada, bem como da prática de exercícios físicos regulares, é muito positivo sobre os níveis de pressão arterial. O reflexo na qualidade de vida é tão grande que são diminuídos os riscos de eventos cardiovasculares e também lesões em outros órgãos que podem ser afetados nos pacientes hipertensos. 

Para mais detalhes sobre a doença, consulte o site da Sociedade Brasileira de Hipertensão e visite um médico.

Para o diagnóstico correto e tratamento, recomendamos que procure um médico de sua confiança para avaliação da melhor conduta para seu caso, com base em seu histórico clínico.

 

Referências bibliográficas:
1. Piegas LS, Timerman A, Feitosa GS, Nicolau JC, Mattos LAP, Andrade MD, et al. V Diretriz da Sociedade Brasileira de Cardiologia sobre Tratamento do Infarto Agudo do Miocárdio com Supradesnível do Segmento ST. Arq Bras Cardiol. 2015; 105(2):1-105.
2. Mendis, S, Thygesen, K, Kuulasmaa, K, Giampaoli, S, Mähönen, M, Blackett, et al. World Health Organization definition of myocardial infarction: 2008-09 revision. Int Journal of Epidemiology. 2011; 40: 139-146.
3. Thygesen, K, Alpert, J, Jaffe, A, Simoons, M, Chaitman, B, White, H. Third Universal definition of Myocardial Infarction. Circulation. 2012; 126: 2020-2035.

 

Login

Cadastre-se